sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Recupere o GRUB depois de instalar Windows

Como já deve saber, o Linux costuma ser bastante amigável com outros sistemas operativos que você tenha instalado no seu computador.

Depois de instalar uma Distribuição de Linux, ele cria-lhe um menu de arranque no qual aparecem os outros sistemas operativos que você tinha instalado anteriormente. E nesse menu, se você tinha Windows instalado, esse Windows também aparecerá nesse menu.

domingo, 25 de outubro de 2009

Uma grande ferramenta chamada FFMPEG [LINUX]


FFMPEG é uma pequena maravilha. FFMPEG oferece a solução para gravar, converter e fazer "stream" de áudio e vídeo. FFMPEG é multi-plataforma (Linux, Windows e Mac).

E é também mais de que tudo isto. Este projecto está dividido em vários componentes, dos quais estão: ffmpeg, ffserver, ffplay, libavutil, libavcodec, libavformat, libavdevice e libswscale.

São vários os programas que usam FFMPEG como "motor" para fazer conversões de formatos: MediaCoder, WinFF, MobileMediaConverter e outros tantos.

Vou dividir este artigo em várias partes, para melhor leitura e organização:

  • Parâmetros usados
  • Sintaxe da linha de comandos (terminal)
  • Exemplos de Conversão de Vídeo e Áudio

sábado, 24 de outubro de 2009

Baixe musicas de GOEAR

Encontrei um pequeno script de bash que permite baixar músicas do sitio web goear.com



sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Google Hacks - Uma ferramenta útil

Uma ferramenta para encontrar tudo !

Se você não tem "habilidade" suficiente, ou não sabe "espremer" bem as funcionalidades que o Google oferece-lhe para procurar o que quer na web, existe este pequeno programa que é uma boa ajuda.

O seu nome é Google Hacks.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Hot-Babe: Monitor de actividade do sistema

Eis aqui um pequeno utilitário que encontrei. O seu nome é Hot-Babe, e é um monitor de actividade do sistema bastante particular.



O seu funcionamento é simples. Ao executá-lo aparecerá uma imagem de uma mulher algo... sensual...(um pouco ao estilo de uma banda desenhada), que á medida que suba o uso do microprocessador do seu computador, ela ficará cada vez com menos roupa até ficar completamente nua !

domingo, 18 de outubro de 2009

Comando pwd no Linux


O comando pwd (print working directory) visualiza ou imprime o caminho do directório no qual nos encontramos neste momento.

 Este comando é um dos poucos que não tem opções e utiliza-se escrevendo simplesmente:

pwd

Veja também:

Comando ls no Linux



Aqui ficam alguns usos do comando ls no Linux.
No Windows ( leia-se MS-DOS) usa-se (ou usava-se... já lá vão os tempos que o windows "dispensa" o seu uso) o comando dir na consola, mas o comando ls no Linux é bastante mais poderoso...
Uma das acções mais comuns na hora de trabalhar é mostrar o conteúdo de um directório (ou pasta). É claro que podemos usar um navegador como o Konqueror (se usamos KDE) ou Nautilus (se usamos GNOME), mas se temos de fazer algo no terminal (ou linha de comandos), a shell inclui um programa com o mesmo fim: ls

ls mostra os nomes dos ficheiros e sub-directórios contidos no directório actual. Apenas obtemos os nomes dos ficheiros, sem nenhuma outra informação.

 ls -a 
 Mostra todos os ficheiros incluindo alguns que normalmente estão ocultos para o utilizador (aqueles ficheiros que começam por um ponto). Lembro também que o ficheiro ponto . indica o directório actual e o duplo ponto .. indicam o directório pai, que contém o directório actual.


ls -l 
Esta é a opção de lista "comprida". Mostra toda a informação de cada ficheiro, incluindo: protecções, tamanho e data de criação ou da ultima modificação introduzida.

ls -c 
Mostra a informação ordenada por dia e hora de criação.

ls -t
Mostra a informação ordenando por dia e hora de modificação.

ls -r
Mostra o directório ordenado em ordem inverso.

ls subdir
Mostra o conteúdo do sub-directório subdir.

ls -l filename
Mostra toda a informação sobre o ficheiro "filename" (filename é apenas um exemplo, substitua-o pelo nome do ficheiro de que deseja a informação, é claro !)

ls --color
Mostra o conteúdo do directório colorido.

As opções anteriores pode ser combinadas. Por exemplo:

ls -cr
Mostra o directório ordenado inversamente por datas.

O comando ls admite os caracteres de substituição, ou meta-caracteres (*) e (?).

O caractere * representa qualquer conjunto ou sequência de caracteres.

O caractere ? representa qualquer caractere, mas apenas um. Por exemplo:

ls *.gif 
Mostra todos os nomes de ficheiros (ou arquivos) que acabem em .gif, por exemplo:
dib1.gif, a.gif, etc.

ls file?
Mostra todos os ficheiros (ou arquivos) cujos nomes comecem por file e tenham um nome de cinco caracteres, por exemplo:
file1, file2, filea, etc.

Sabe mais usos do comando ls ?
Deixe no seu comentário e incluirei aqui nesta lista!

Compartir uma pasta rapidamente através HTTP



Se você quer compartir uma pasta do seu computador com os seus companheiros de escritório rapidamente, faça o seguinte:

Abra um terminal e vá até á pasta que quer compartir, por exemplo, "documentos".

$ cd /home/seu-nome-se-utilizador/Documentos

Desde essa pasta execute:

$ python -m SimpleHTTPServer

Com isto criará um servidor WEB, que permite aos outros utilizadores ter acesso ao conteúdo da sua pasta desde um navegador WEB se usam a seguinte URL:

http://IP_do_seu_computador:8000

Substitua IP_do_seu_computador pela sua IP, é claro !

Nota: pode experimentar de maneira local com

http://localhost:8000

Para deixar de compartir, simplesmente feche o terminal em que se está sendo executado o comando acima referido.

sábado, 17 de outubro de 2009

Ubuntu 9.10 3D Desktop

Eis aqui um vídeo do ultimo Ubuntu que está para vir... a versão 9.10.
Neste vídeo vêm-se alguns efeitos 3D (leia-se compiz-fusion) com algum tema no Ambiente de Trabalho, ... enfim, o vídeo fala por si, vejam:





Quer saber mais sobre o compiz-fusion ? veja o link:

http://linuxvidalivre.blogspot.com/2009/09/configurar-compiz-fusion-074.html

Um pequeno programa que facilita o ligar/desligar do compiz-fusion:

http://linuxvidalivre.blogspot.com/2009/09/programa-para-ligar-e-desligar-compiz.html

Cumprimentos.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Grave um tutorial com RecordMyDesktop

Se quer fazer um simples tutorial de video, pode fazê-lo facilmente com uma simples ferramenta:

RecordMyDesktop



Com ela gravará todas as actividades no ecrã do seu computador com som (do seu microfone, por exemplo). Pode controlar a qualidade do vídeo e do som.

Instale no Debian com o seguinte comando no terminal (como root):

 aptitude install gtk-recordmydesktop

Ou pode instalar com o Synaptic, procurando por gtk-recordmydesktop. Marque a casinha da aplicação e aplique os câmbios para iniciar a instalação.

No Ubuntu instale com o seguinte comando:

 sudo aptitude install gtk-recordmydesktop

Depois de instalado, pode encontrá-lo no seu menu "Multimédia" (KDE)


Usando o programa:

Quando carrega no botão de gravação , começará a gravar. A aplicação RecordMyDesktop ficará minimizada na barra de ferramentas.

Pode gravar o ecrã inteiro, ou só uma janela, ou parte de uma janela, ou só a área que você defina. É flexível e á sua escolha. Como o próprio Linux !

 Quando quiser parar a gravação, carregue no botão de STOP da aplicação na barra de ferramentas. No entanto tem de esperar enquanto o programa codifica o seu vídeo antes de terminar.

O formato do ficheiro de video criado é .ogv (ogg theora video)

Para reproduzir o ficheiro, pode usar o reprodutor XINE, por exemplo...

MAS.........

No entanto, se quiser converter o ficheiro de vídeo para outro formato, digamos... .avi, pode fazê-lo através da linha de comandos (utilizando a ferramenta chamada mencoder para tal. Instale-a com aptitude install mencoder no terminal).
Por exemplo, criamos um vídeo, que se chama.... video.ogv ;-)
Para converter para .avi, execute o seguinte:

 mencoder -idx video.ogv -ovc lavc -oac mp3lame -o convertido.avi


 Substitua "convertido.avi" pelo nome que deseja dar ao seu video convertido !

Divirta-se !

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Falta de "humor" e Falta de "Gosto"

Ora aqui fica um video que leva algum tempo a circular pela Internet e criou certa polémica, pelo menos deste lado Lusitano do oceano:



Esta "senhora" chamada Maitê Proença, que diz ela ser Portuguesa, e que tem entrado na casa de muitos Portuguesas através das telenovelas Brasileiras... com esta atitude que teve neste video, acho que "meteu a pata" (como se diz aqui em Portugal) de vez, e bem na merda. Desculpem a expressão mas não há melhores palavras que definem tamanha burrada.
Neste video mostra-se uma falta de conhecimento da história de Portugal. É normal, já que ela diz que é Portuguesa, mas vê-se o pouco conhecimento que tem.
Chama a torre de Belém um "edifício" construído pelo Salazar. Sim senhor, andou perto da data de construção. Eu diria que falhou por umas boas centenas de anos, mas enfim. Depois diz que o Salazar governou durante uns 20 anos....outra vez, ENFIM....
Agora, falta de educação, e mesmo feio, é ir ao mosteiro dos Jerónimos cuspir na fonte que lá está. Este detalhe considero mesmo ofensivo, como Português que me sinto, acho um insulto, falta de respeito, falta de educação, falta de etc...
Se a isto a Maitê Proença chama de humor, e teve coragem de filmar o que se vê e transmitir isso na televisão, eu chamo de falta de gosto. Isto é insultante, e se o que esta senhora chama de humor em resposta a um canal de televisão Português, ... e que as pessoas que se ofendem não têm sentido de humor suficiente para entender... sinceramente !!

A todos os brasileiros que cá passam, gostaria de ver a mesma hostória ao contrário e ver alguém crucificado, porque de certeza que o seria.

Finalizando... este é um blogue sobre Linux, mas este tema não podia passar em branco, daí esta mensagem.

Cumprimentos a todos.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Resultados da sondagem: Qual Distribuição de Linux usa ?

Como quem costuma passar por aqui, deve-se lembrar da ultima sondagem que foi feita... pois bem, aqui ficam os resultados:

 Qual Distribuição de Linux usa ?

Debian - 9
Ubuntu - 11
OpenSuse - 1
Slackware - 1
não estava na lista mas não é Windows - 1

Um Muito Obrigado a todos os que participaram !

Instale fontes TrueType da Microsoft no Debian



Para ter as fontes (tipos de letra) de Microsoft no seu Debian instale o seguinte pacote:

 ttf-mscorefonts-installer


Estas são as chamadas Microsoft True Type Core Fonts for the Web


Pode instalar no terminal (como root) com o seguinte comando:

# aptitude install  ttf-mscorefonts-installer

Nota: É necessária uma ligação á Internet para baixar as fontes ! 

As fontes incluídas neste pacote são as seguintes:


Andale Mono
Arial Black
Arial (Bold, Italic, Bold Italic)
Comic Sans MS (Bold)
Courier New (Bold, Italic, Bold Italic)
Georgia (Bold, Italic, Bold Italic)
Impact
Times New Roman (Bold, Italic, Bold Italic)
Trebuchet (Bold, Italic, Bold Italic)
Verdana (Bold, Italic, Bold Italic)
Webdings



Página oficial: http://corefonts.sourceforge.net/

Rompa passwords de ficheiros ZIP com FCRACKZIP



Romper ou crackear passwords de ficheiros ZIP......
Fcrackzip é uma pequena ferramenta que pode ser útil quando você precisa de abrir ficheiros ZIP protegidos com palavra-passe ou password e os quais você perdeu essa mesma palavra-passe.
Fcracksip está disponível para Debian/Ubuntu nos respectivos repositórios.

Pode instalá-lo no terminal com o seguinte comando (ter de fazer login de root):

# aptitude install fcrackzip

 No Ubuntu instale da seguinte maneira:

$ sudo apt-get install fcrackzip

Ou pode instalar fcrackzip tanto no Debian como no Ubuntu através do Synaptic.

Para ver as opções disponíveis do uso de fcrackzip, escreva o seguinte comando no terminal:


$ fcrackzip --help

Pode procurar por uma password da seguinte maneira:

$ fcrackzip -c a -p aaaaaa ficheiro.zip

O comando acima indicado verificará os ficheiros encriptados em ficheiro.zip, por todas as passwords escritas em minúsculas com 6 caracteres de longitude (aaaaaa ... abaaba ... ghfgrg ... zzzzzz).

fcrackzip também pode usar o modo de força bruta (brute force mode) assim como o modo de dicionário (dictionary mode).

Outro exemplo:

 fcrackzip -v -u -b -c aA1 -l 4-7 archivo.zip

 -c aA1 indica que deve experimentar as passwords que apenas contenham do a-z , A-Z e 1-9

 -l 4-7 indica que tente apenas com passwords que tenham de 4 a 7 caracteres.

A página "man" indicada acima com o comando fcrackzip --help inclui mais algumas opções interessantes que você pode experimentar.

É claro que com passwords muito complexas e largas o programa pode levar bastantes horas a tentar descobrir, assim que fica ao seu critério imaginar se o ficheiro ZIP que quer romper tem ou não uma password difícil.

Reconstruir um pacote DEB de uma instalação


Se você usa Debian/Ubuntu, você pode reconstruir o pacote .deb de qualquer pacote instalado. Mas qual a utilidade de fazê-lo ?

 Se você fez alguma alteração ao pacote enquanto ele esteve "desempacotado" (por exemplo: ficheiros em /etc que foram modificados) o novo pacote herdará essas alterações que você fez !

Para poder fazê-lo instale o pacote dpkg-repack.
Abra um terminal, faça o login de root (ou use sudo antes do comando no Ubuntu) e introduza:

# apt-get install dpkg-repack

Suponha que você tem instalado o pacote (por exemplo) amsn. Pode reconstruir o pacote amsn da seguinte maneira:

# dpkg-repack amsn

Na pasta onde estiver aparecerá :

amsn_0.97.2.deb


dpkg-repack apenas funciona se for executado como root.

domingo, 11 de outubro de 2009

Zaz - Jogo de puzzle/arcada

Hoje venho apresentar mais um jogo para Linux.
O seu nome é Zaz e é parecido a um jogo que há para Windows chamado Luxor, mas este tem uma mecânica de jogo diferente, sendo bastante curioso e promete uma boas horas de diversão.

Actualização: Se usa o Debian Squeeze, este jogo encontra-se disponível nos repositórios, sendo a instalação muito mais fácil se procurar "zaz" no Gestor de Pacotes Synatic


quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Ver mensagens de arranque em Debian


Precisa de dar uma olhada nas mensagens de arranque do seu Debian depois de ele arrancar ?

Sim, aquelas mensagens que aparecem quando reinicia o computador ou quando o liga, e algumas mensagens aparecem tão rápido que por vezes não tem tempo de as ler detidamente...

Pois só tem de activar o ficheiro bootlogd.

Este ficheiro encontra-se dentro de /etc/default/

Lá existe um ficheiro chamado bootlogd. O seu conteúdo é o seguinte:

# Run bootlogd at startup ?
BOOTLOGD_ENABLE=No

Edite-o como root (use su para fazer o login de root, ou kdesu se preferir)

Depois de fazer o login de root, abra um terminal e escreva o seguinte comando para mudar para a pasta onde está bootlogd :

 cd /etc/default/

Edite com o seu editor preferido (kedit se usa KDE ou gedit se usa GNOME):

kedit bootlogd

Uma vez aberto o ficheiro, altere-o para que fique da seguinte maneira:


# Run bootlogd at startup ?
BOOTLOGD_ENABLE=Yes

Grave o ficheiro e feche o editor que usou.

Para que possa ver as mensagens (log) de arranque, terá que reiniciar o computador, já que no próximo arranque será criado um ficheiro chamado boot na pasta /var/log/

Abra o ficheiro boot e voilá ! (possivelmente tenha de o ver com permissão de root )

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Colorir o terminal em Debian


Aqui vai mais um maneira de incluir algo de cor no texto do seu terminal.
Útil para quando quer navegar por directórios, etc...

Edite o ficheiro oculto .bashrc que está na sua pasta /home. Para tal certifique-se que tem activada a opção de visualizar ficheiros ocultos no seu navegador, seja ele konqueror, nautilus...

Para tal apenas tem de descomentar as linhas que aparecem por baixo de:

# enable color support of ls and also add handy aliases

No meu caso ficaram assim:

# enable color support of ls and also add handy aliases
if [ "$TERM" != "dumb" ]; then
eval "`dircolors -b`"
alias ls='ls --color=auto'
#alias dir='ls --color=auto --format=vertical'
#alias vdir='ls --color=auto --format=long'


 
NOTA: as linhas comentadas, têm o símbolo # ao principio das mesmas. Existem nesse ficheiro linhas que têm # porque essas mesmas linhas são comentários, e esses comentários por vezes dão-nos indicações sobre como fazer algo !

Espero que vos seja útil !

Gostou ?

Comente... um comentário é sempre bem-vindo !



Colorir as páginas "man" de Linux

Ora isto é algo que já fiz já há algum tempo... pôr um pouco de cor na páginas manual (man) de Linux.
Por exemplo, você quer ver a página man do comando cp (copy). No terminal escreverá para tal:

man cp



É útil porque a aplicação de cores ao conteúdo de uma página man, ajuda a ler o manual, dando assim aos olhos uma maneira de organizar a informação e fazendo assim uma leitura mais agradável.

Ora pôr um pouco de cor é mesmo muito simples.

Instale o pacote most.
Abra um terminal ou linha de comandos. Faça o login de root, escrevendo su, seguido da sua palavra-passe de root.
Escreva o seguinte comando:

aptitude install most

Também pode instalar most com o gestor de pacotes synaptic, se não gosta de usar o terminal.
Quando terminar de instalar tem de dizer ao sistema que quer usar most como o paginador por defeito.

Para tal escreva o comando (como root):

 update-alternatives --config pager

Acto seguido aparecerá as opções para que você escolha most:

 There are 4 programs which provide `pager'.

Selection Command
-----------------------------------------------
1 /bin/more
+ 2 /usr/bin/less
3 /usr/bin/w3m
* 4 /usr/bin/most

Neste caso most é a opção numero 4, e é aquela que é escolhida.

Espero que lhe seja de utilidade.
Gostou ? Comente...
Um obrigado é sempre bem-vindo !

domingo, 4 de outubro de 2009

Não consegue reproduzir mp3 em Debian ? (...e antes sim ?)


 Pois bem... pode ser um problema que aconteça. Mas mantenha a calma....


Faça uma coisa... execute um reprodutor, por exemplo, Amarok.
Se continuar a receber o mesmo erro, faça o seguinte:
Execute Amarok, mas desta vez como root.

Abra um terminal, escreva su para fazer o login de root, escreva a sua palavra-passe de root e arranque amarok com o seguinte comando:

# amarok
 Óbvio, certo ?
Se ao ser executado Amarok como root consegue reproduzir os .mp3, faça o seguinte:

Vá á sua pasta de utilizador, dentro da sua pasta"/home".
Dentro procure uma pasta chamada ".xine" (sem as aspas é claro !)

A pasta ".xine" é uma pasta oculta, assim que certifique-se que (se usa konqueror, por exemplo) tem activada a opção de mostrar as pastas ocultas.
Uma vez encontrada essa pasta, seleccione-a e apague-a !

Sim ! Apague-a !

Com isto solucionei este problema, que, sem saber como nem porquê, de um dia para o outro deixei de poder ouvir os .mp3 que tenho no meu disco rígido !

E isto depois de já ter instalado os pacotes necessários há bastante tempo, ... tudo funcionava na perfeição e de um momento para o outro aconteceu-me isto sem saber como nem porquê !

E não se preocupe... a pasta ".xine", assim como muitas pastas ocultas que estão na sua pasta "/home" é regenerada na próxima vez que executar o reproductor xine, e lá contém vários ficheiros de configuração deste programa... que á sua vez, xine é também um motor de reprodução, e usa esta pasta para armazenar configurações.

Espero que lhe seja de utilidade em caso de apuros.
Obrigado por comentar !



Notícias GNU/Linux